Notícias
Essencial para acompanhar o mercado imobiliário
Notícias
Voltar \ Novo Investimento em Lisboa

Novo Investimento em Lisboa

08 mai 2019
Novo Investimento em Lisboa
Todo-poderoso´ sul-africano investe 90 milhões em 151 casas de luxo em Lisboa

De pintor de casas a gigante do imobiliário na África do Sul. Chama-se John Rabie, é um dos homens mais influentes do setor no país, e está a preparar a sua entrada em Portugal. O investidor todo-poderoso vai estrear-se em Lisboa com o projeto LX Living, nas Amoreiras, que terá 151 apartamentos de luxo. O novo empreendimento vai custar 90 milhões de euros e deverá estar pronto em 2020 ou 2021.

Modernos, espaçosos e localizados junto a uma das principais artérias da capital, a Avenida da Liberdade. Os apartamentos do LX Living - projetados pelo atelier Saraiva + Associados e inseridos num imóvel de sete andares -, vão ter direito as várias comodidades: spa, duas piscinas, ginásio, dois restaurantes e uma praça interna. As tipologias vão do T0 ao T4, com preços a oscilar entre os 268 mil euros e 1,25 milhões de euros.

Os promotores - a Newworld de John Rabie, a suíça GMG Real Estate e a Skybound Capital - querem atrair investidores sul-africanos para o projeto, tanto que o empreendimento já foi apresentado na Cidade do Cabo, a 30 de abril de 2019, e a 6 de maio de 2019 em Joanesburgo. A apresentação em Lisboa também já tem data marcada, para 6 de junho de 2019.

Uma oportunidade dourada para os sul-africanos

 

Os responsáveis promovem Portugal como uma “democracia estável e moderna”, favorável ao investimento, apontando a segurança, estabilidade, indicadores sólidos do mercado imobiliário e a qualidade de vida “excecional” como características que fazem do país um destino de investimento que “gera interesse permanente”.

O projeto é ainda apresentado na África do Sul como uma “oportunidade” para os investidores garantirem um visto gold, que abre uma porta de entrada de cidadania na Europa, estando assegurado um financiamento que pode ir até aos 75% do valor do imóvel, no âmbito de uma parceria com o Novo Banco.

“Estabelecemos uma parceria com o Novo Banco, que é o maior banco em Portugal e tem um enorme apetite por financiar investidores estrangeiros. Eles oferecem aos investidores estrangeiros taxas de juro muito atrativas, a partir de 1,5% ao ano”, adiantou o promotor numa entrevista ao portal de notícias sul-africano Biz News.

Lisboa, a “cidade número um” para investir

“Lisboa tem muito a oferecer”, disse John Rabie ao portal SA Property News. Segundo o responsável, Lisboa é uma “uma cidade encantadora com um clima maravilhoso, com zero crime e muito disponível para o mercado turístico”.

“Sentimo-nos muito confiantes de que estamos no lugar certo na hora certa e que seremos capazes de oferecer aos nossos investidores o crescimento e retorno que eles legitimamente esperam de nós”, declarou Rabie.

O responsável explicou que a sua equipa passou os últimos meses a estudar o mercado da capital portuguesa e que a pesquisa veio confirmar a “opinião de especialistas respeitáveis”, relativamente aos motivos que estão a provocar a escassez de oferta residencial em Lisboa. “Agora entendemos por que é que esses especialistas classificaram Lisboa como a cidade número um em toda a Europa para investir em imóveis residenciais”, conclui o promotor.

De pintor a todo-poderoso: assim é John Rabie

John Rabie é dono do Rabie Property Group e apresentado como um empresário influente que transformou a forma como os sul-africanos constroem casas, segundo a Forbes Africa. Rabie começou como um “homem humilde que pintava prédios há 40 anos”, e que depois decidiu fundar a sua própira empresa de construção civil. Agora é um dos homens mais poderosos no setor imobiliário sul-africano.

Ficou conhecido pelo seu projeto mais emblemático, a Century City, uma gigante urbanização na Cidade do Cabo que custou quase dois mil milhões de euros. É uma cidade dentro de uma cidade, um espaço onde se pode viver, trabalhar, fazer compras ou relaxar, com mais de 4.000 casas e 500 espaços comerciais.

“O melhor de Century City é que esta se assemelha a um jogo, à medida que os mercados mudam, podes mudá-la para ter áreas um pouco mais comerciais, um pouco mais residenciais. Quando entro no centro de conferências, tenho que me beliscar”, sublinhou o empreendedor que nunca achou possível tornar este projeto realidade.

Veja Também